A Prefeitura de Itajá, através da secretaria de obras, tem trabalhado incansavelmente para levar mais qualidade de vida e acessibilidade aos itajaenses.

O prefeito Alaor Pessoa vem acompanhando de perto os serviços que estão sendo realizados nos bairros da Cidade.

O prefeito ressalta a importância do gestor comprometido com a qualidade de vida dos cidadãos, buscar recursos e garantir que obra como esta, virem realidade, trazendo assim, melhorias imediatas na qualidade de vida de todos. Estamos exercendo o nosso papel frente a administração municipal. Na visita realizada hoje pela manhã(25) de abril os moradores agradeceram pela atenção e pelo bom serviço que está sendo realizado, melhorando o fluxo da água e a drenagem da chuva e facilitando acesso a todos os itajaenses e visitantes.

“Faço questão de vir acompanhar de perto, conversar com os moradores e ouvir quais as reais necessidades de cada comunidade e muito em breve estaremos inaugurando mais uma importante obra”, disse.

Fonte: Página do facebook/PMI

Terça-feira dia 30 de abril, a partir das 08:00 horas, no Ginásio de esporte Francisco Weldeny de Brito, tem reunião com os representantes das equipes do Torneio do Trabalhador. Para realizar o sorteio dos jogos e outros assuntos referente a competição.

A organização do evento agradece a participação de todos.

Jarbas Filadelfo de Lucena, Secretário de Esportes

Blog: Aluizio Lacerda

Os produtores de melão do Rio Grande do Norte esperam triplicar a produção e empregar mais 40 mil pessoas a partir de um acordo comercial com China. Uma comissão de empresários do agronegócio brasileiro tem viagem marcada com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, no dia 5 de maio, com destino à Ásia. A expectativa dos potiguares, é fechar um acordo para exportação da fruta fresca.

“Só para dar ideia da grandeza, o Brasil, aqui na região de Mossoró, que é o único local que produz melão no país, produz 20 mil hectares, dos quais boa parte vai para a Europa. Só a china, no período de verão de lá, produz 430 mil hectares. Realmente é um país que tem um hábito de consumo muito grande, e por isso está sendo alvo dos nossos objetivos, de exportar para lá”, afirma o empresário Luiz Roberto Barcellos – um dos integrantes da missão

Presidente da a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Fruticultura do MAPA, e do Comitê Executivo de Monitoramento da Mosca das Frutas (Coex), o produtor explica que as negociações com a China para a entrada do melão brasileiro no país já duram cinco anos.

Ele afirma que se o estado conseguir atingir 10% do mercado chinês durante o inverno asiático, quando eles não conseguem produzir o melão, o estado conseguiriam triplicar sua produção, passando dos atuais 20 mil hectares para 60 mil. Esse avanço também significaria um aumento de praticamente 40 mil empregos, uma vez que para 0,9 hectare, é necessário um trabalhador.

“Atualmente exportamos cerca de US$ 120 milhões de dólares. Com o acordo, seriam US$ 360 milhões, ou cerca de R$ 1 bilhão para a economia do estado”, aponta.

A expectativa é de que o acordo seja firmado durante a viagem, mas ainda enfrenta desafios.

O medo das pragas

De acordo com Barcellos, toda negociação relativa à fruta fresca, conta com o risco de essa fruta, ao chegar no país, levar junto uma praga. Normalmente, é feita uma análise para saber quais são os riscos, e se estabelece, então, um protocolo para se adotar as medidas mitigatórias.

“Para nossa sorte, a principal praga do melão, a mosca da fruta, a mosca-das-cucurbitáceas do melão, não existe nessa região. Nós somos (alguns municípios do Rio Grande do Norte) a única área do Brasil certificada, reconhecida internacionalmente como uma área livre dessa praga. Estados Unidos, Chile, todos esses países reconhecem”, ressalta o empresário.

O problema é que os chineses estão preocupados com outra praga existente no país, mas que, de acordo com o empresário, não é problema para o melão.

“Os chineses estão querendo uma medida mitigatória contra uma mosca da qual o melão não é hospedeiro, porque o ferrãozinho dele, o ovipositor não é suficiente para furar a casca do melão. Essa mosca veio para o Brasil da Europa e eles estão com medo que ela vá para lá. O que nós temos que demonstrar para eles cientificamente, tecnicamente, é que o melão não é hospedeiro”, destaca.

Barcellos lembra que a barreira técnica muitas vezes é usada como subterfúgio do país para negociações. Ele acredita, por exemplo, que, em contrapartida à entrada do melão brasileiro no mercado asiático, a China deseja exportar pera ao Brasil.

Por G1 RN

Janaina Paschoal, em entrevista ao Valor, disse que os ataques de Carlos Bolsonaro ao general Hamilton Mourão vão continuar:

“Mourão é muito inteligente. Ele está percebendo que Carlos Bolsonaro está em uma situação emocional que precisa ser compreendida. Não está bem, tem reações exacerbadas. Eduardo Bolsonaro dá respaldo para proteger o irmão, que fica na mira. Eles não vão mudar, é a dinâmica da família. Não tem jeito. Os quatro anos vão ser assim. A gente é que vai ter que se acostumar. Mas não consigo ver nada por parte do vice que enseje tanta preocupação.”

O ANTAGONISTA

Enquanto figuras como o ex-presidente Lula(PT), o ex-senador Geraldo Melo (PSDB) e o ex-senador Garibaldi Filho (MDB) não entendem que o importante é se manter com mandato para fazer política, as ex-governadoras Wilma de Faria e Rosalba Ciarlini deram exemplo do pragmatismo da sobrevivência política.

Wilma morreu como vereadora de Natal, último cargo que ocupou. Já Rosalba, depois de ser senadora e governadora, voltou à Prefeitura de Mossoró. Se manter com cargo eletivo é fundamental para continuar no jogo. Quem fica fora vai caindo no ostracismo.

Blog De olho no Assú
28 - abr/2019

Último voo da Avianca em Natal decolou neste domingo

A companhia aérea Avianca deu adeus às operações em Natal neste domingo (28). O último voo, pelo menos por enquanto, partiu hoje à tarde do Aeroporto Internacional Aluizio Alves rumo ao aeroporto Juscelino Kubitscheck, em Brasília.

Durante os preparativos para a decolagem, a tripulação ainda discursou provocando a comoção e aplausos de muitos passageiros.

A companhia aérea está devolvendo 18 das 25 aeronaves desde o último dia 22 de abril a quatro empresas de leasing que venceram ações judiciais para a retomada dos equipamentos por inadimplência da Avianca. Os atrasos dos pagamentos se arrastam ao menos desde o segundo semestre do ano passado.

A empresa potiguar Aquacoco, que trabalha com a venda de Água de Côco, começará a exportar seu procuro para a Europa. O início das exportações do produto genuinamente potiguar começará em junho.

Da redação – Assú Notícia: Por onde passa conquista muita gente, fenômeno na sofrência, sucesso em suas músicas, agora, sozinho, Fernandes volta ao São João mais antigo do mundo, em Junho. Ele trará na sua mala, musicas que fizeram sucesso e muita gente chorar. Bonde do Brasil é atração confirmada no São João mais antigo do mundo.

Da redação – Assú Notícia: A equipe de médicos que acompanha Maria Luiza Teodozio de Oliveira, internada em estado grave na UTI do Hospital Wilson Rosado, realizaram um exame de intoxicação na jovem. O resultado descartou qualquer possibilidade de um chocolate ter feito mal a menina.
Maria Luiza passou mal na última quinta-feira, 18 de Abril, quando comeu um chocolate. A família e amigos suspeitavam de que o chocolate em que sua tia recebeu de forma anônima por uma pessoa desconhecida, havia feito mal a Maria Luiza.
Toda família de Maria Luiza pede forças e orações de todos, para que ela possa ter sua saúde restabelecida diante da situação em que ela encontra-se.

Blog De olho no Assú
28 - abr/2019

Espanhóis vão às urnas para escolher novo Congresso

As seções eleitorais na Espanha foram abertas neste domingo (28) para a eleição dos novos membros do Legislativo do país, composto por 350 deputados e 208 senadores.

Os socialistas do PSOE aparecem como os favoritos, mas a incógnita é se a sigla e outras legendas de esquerda vão conquistar cadeiras suficientes na Câmara para formar uma coalizão estável ou se os partidos liberais e de direita terão cadeiras suficientes para formar o seu próprio bloco. A eleição ainda deve marcar a entrada no Parlamento de um partido de extrema direita, uma corrente política que, nas últimas quatro décadas, teve papel secundário no país.

O pleito deve se estender das 9h às 20h (horário local, 4h e 15h em Brasília) – exceto nas Ilhas Canárias, onde todo o processo se realiza uma hora mais tarde. Assim, nenhum dado será conhecido antes das 21h locais.

Mais de 36 milhões de espanhóis foram convocados a votar.  Entre eles estão mais de 2 milhões que vivem no exterior. Cerca de 1,2 milhão do total são jovens que vão votar pela primeira vez. O pleito ainda terá uma novidade: 100 mil pessoas com algum tipo de deficiência cognitiva também poderão exercer o direito, graças à reforma aprovada em 2018.

Para garantir segurança cibernética e física, o governo implantou um novo sistema para proteger o envio e o processamento de dados eleitorais, reforçou as medidas antiterroristas e convocou 92 mil agentes de diferentes forças policiais.

Um governo estável terá de ser apoiado por mais de metade (175) do total de deputados (350) que vão ser eleitos para o Congresso dos Deputados.

As sondagens, por enquanto, apontam para um resultado muito fragmentado, com cinco partidos ultrapassando 10% das intenções de voto, o que deve dificultar as negociações para formar uma coalizão de governo estável.

O favorito para chefiar um novo governo é o primeiro-ministro Pedro Sánchez, do PSOE, que desde junho do ano passado lidera o país. O partido de Sánchez, porém, não deve conquistar cadeiras suficientes para governar sozinho, o que significa que terá que buscar alianças com outras legendas. Tudo isso em um ambiente político que se complicou desde a tentativa de secessão fracassada da Catalunha.

De longe, a novidade dessas eleições é o surgimento do partido de extrema-direita Vox, que parece prestes a fazer sua estreia no Parlamento nacional.  Fundado por um ex-membro do conservador Partido Popular (PP), com uma forte postura contra a imigração ilegal, o Vox cresceu graças à sua linha dura contra os separatistas na Catalunha.

Sánchez foi forçado a convocar as eleições antecipadas deste domingo depois que legisladores pró-independência catalães no Parlamento nacional, irritados com o julgamento de seus líderes em Madri, recusaram-se a lhe dar o apoio necessário para a aprovação do orçamento para 2019.

O PSOE lidera as sondagens com cerca de 30%, seguido do PP (Partido Popular, direita) com quase 20% e um grupo de três partidos entre 10 e 15%: Cidadãos (direita liberal), Podemos (extrema-esquerda) e Vox (extrema-direita).

A fragmentação partidária e a porcentagem elevada de indecisos detectada pelas pesquisas de opinião, cerca de 40%, também dificultam muito as análises sobre as várias possibilidades pós-eleitorais para a formação de coalizões.

Por isso, mesmo depois de o resultado ser divulgado, ainda pode demorar semanas, ou até mesmo meses, até que a Espanha conheça o seu novo primeiro-ministro.

 

 

Facebook