Quase 10 milhões de pessoas estão em análise para saber se terão direito de receber o auxílio emergencial de R$ 600. São 4,9 milhões de cadastros em primeira avaliação de dados e outros 4,8 milhões em reanálise. O cadastro no programa poderá ser feito até o dia 3 de junho.

Os cadastros processados para pedir o benefício chegaram a 101,2 milhões. Desse total, 59 milhões foram considerados elegíveis e 42,2 milhões inelegíveis. Um dos principais motivos para a negativa do pedido dos que se inscreveram está ligado à renda. São trabalhadores informais, mas que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018, o que impede o pagamento do benefício, de acrodo com lei do auxílio.

Emporio

Acompanhado por vereadores aliados da Câmara Municipal de Alto do Rodrigues, o prefeito Nixon Baracho (DEM), participou nesta sexta-feira (22) de uma audiência com o secretário de Segurança Pública, cel. Araújo, comandante geral da Polícia Militar, coronel Alarico Fernandes, com uma pauta reivindicatória em melhorias para área de segurança no município.

O encontro aconteceu no Centro Administrativo e contou também com a presença do líder do executivo estadual na Assembleia Legislativa, deputado George Soares.

 

O 10viador 08megas do Brasil. Já foi um colaborador assuense que me deu a ideia. Confesso gostei demais.

Vejam as contas:

-Enchentão- processo-013.401/2017-3 – tipo do processo : TCE-Tomada de Contas Especial- Assunto- TCE instaurada pelo MIN- por desvio da enchente 2009- Valor 11.208.491,60

-Davisão- acordão nº 2.947- do TCU, constata um desvio , na secretaria de saúde de Assú- em 2011 no valor 02.005.883,87

-Dosimão- FUNASA- parecer financeiro nº 03/2019- constata desvio

de , em obra da adutora do sítio Simão- 2010- valor 02.079.881,05

Só nesses três convênio totalizaram desvios -valor 15.294.256,52

Achou pouco, e segundo Dr Fred Queiróis , ainda foi vender o apoio dos assuenses, seu seguidores , segundo se comenta nos bastidores
da política , feito Judas por moedas equivalentes a 750.000,00

TOTALIZANDO, VEJAM: 16.044.256,52- MAIS DE 16 MILHÕES DE

REAIS- IGUAL A 08 megas senas da caixa econômica.

E ainda vai para as Rádios de Assú falar mal dos outros. Realmente, OU FICOU BIRUTA, ou o OLHO DO GATO continua grande.E para quem tem vergonha na cara, primeiro presta contas e só depois cobra a dos outros.

Abs Eridu

Emporio

Uma notícia triste pegou uma legião de amigos de surpresa neste domingo (24). Julicassio Silva Andrade, 25 anos, tentou pegar o elevador do prédio no qual morava no bairro de Capim Macio, acabou caindo no fosso e falecendo no local.
Ele não notou que o elevador não estava no andar. Julicassio era servidor da Assembleia Legislativa, no Gabinete do Deputado Kelps Lima.
Segundo informações obtidas pelo BLOGDOBG, o Crea vai investigar o problema que ocasionou o elevador não estar no andar quando abriu a porta e vai averiguar se existia profissional responsável pela manutenção do elevador
ALERTA: Mais um acidente deste tipo acontece em nossa cidade e cada vez mais precisamos redobrar os cuidados e a atenção antes de entrar em um elevador.
O blog desde já lamenta e presta solidariedade a todos familiares e amigos.

*Do BG

Emporio

Foto: Elisa Elsie

A Liga Norte Riograndense Contra o Câncer está pronta para receber pacientes acometidos pelo coronavírus. Serão disponibilizados nesta primeira fase, 14 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e outros 20 de enfermaria. A ação é fruto de uma parceria com o Governo do RN, firmada no final de abril.

A Unidade de Contingência foi instalada no Hospital Dr. Luiz Antônio, no bairro das Quintas. Os leitos, que serão geridos pela Liga, foram construídos exclusivamente para manter os pacientes com Covid-19 e evitar contato com pacientes regulares da unidade oncológica.

Em coletiva no dia 11 deste mês, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) informou que, nesta primeira fase, os leitos serão direcionados, preferencialmente, ao internamento de pacientes oncológicos com Covid-19 ou com suspeita da doença.

O acordo entre a Liga e o Governo prevê a abertura de até 60 novos leitos hospitalares destinados ao enfrentamento da Covid-19.

Foram abertos 34 agora, os demais leitos serão construídos caso a Sesap considere necessário, obedecendo uma lógica progressiva de abertura, com vistas à racionalização da despesa pública. Estes, se necessário, serão abrigados na Policlínica, sede da Liga no bairro do Alecrim.

O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) prevê que a parceria entre Governo e Liga será por até seis meses. O documento estima que podem ser aplicados até R$ 22 milhões, sendo um teto de R$ 3 milhões/mês e R$ 4 milhões investidos nas obras físicas, aquisição de equipamentos, insumos e medicamentos, além do custeio da mão de obra e de operação.

(mais…)

lula


Sem conseguir operar no SUS, Cássio precisou pagar por um tratamento hormonal | Imagem: Arquivo Pessoal

O agente de viagens Cássio De Paula Gouveia, 50, começou a sentir dores no corpo e procurou ajuda médica em novembro do ano passado. O diagnóstico de câncer de próstata saiu apenas em fevereiro, quando a pandemia chegava ao Brasil. De repente, os exames foram adiados e a cirurgia não veio. A doença não esperou. Ela chegou a meados de maio já em metástase óssea, atingindo pernas e região cervical.

A história de Cássio não é exceção. Apenas em abril, 50 mil brasileiros não tiveram acesso a diagnóstico e tratamento para o câncer. Ficaram sem radioterapia, quimioterapia e sem a possibilidade de operar: de acordo com a SBCO (Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica), a pandemia de covid-19 cancelou 70% das cirurgias de câncer no Brasil entre 11 de março e 11 de maio, o equivalente a 116 mil procedimentos.

“Quando finalmente consegui uma consulta para triagem no Instituto do Câncer (SP), em março, o martírio começou”, lembra Cássio. “Os exames foram para o final de abril e a consulta para o tratamento foi jogada para 4 de maio, mas eu já deveria ter sido operado. Questionei o rapaz da recepção, e ele disse que estão segurando tudo por causa da pandemia”, relata.

Cirurgias mais adiadas De acordo com a pesquisa, realizada em conjunto com a SBP (Sociedade Brasileira de Patologia), as cirurgias mais adiadas são as de colo retal, mama, estômago, pâncreas e pulmão.

“As menos afetadas são as operações pouco invasivas, como a do câncer de pele não melanoma, mama inicial ou colorretal inicial”, afirma o cirurgião Alexandre Ferreira Oliveira, presidente da SBCO. “Mas todo caso tem de ser discutido com o cirurgião.”

O levantamento também mediu a redução dos diagnósticos desde que o novo coronavírus chegou ao Brasil. Para alguns tipos de exame a queda foi de 30%, para outros, de 90%, com média de 50%. São 50 mil diagnósticos a menos por mês desde o início da pandemia”, diz Clóvis Klock, presidente do Conselho Consultivo da SBP e médico patologista.

A pandemia também reduziu o número de diagnósticos e cirurgias oncológicas no Reino Unido, o que deve resultar em aumento de “pelo menos 20% na mortalidade”, de acordo com um estudo publicado em abril no British Medical Journal. No Brasil, 224 mil pessoas morreram de câncer em 2019, de acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

“Como a saúde pública no Reino Unido é mais eficiente do que a brasileira, é possível que esse percentual seja ainda maior por aqui”, diz Oliveira, da SBCO. Se for proporcional, esse acréscimo giraria em torno de 44.800 óbitos em relação ao ano passado.

Sem tratamento na fase inicial, a gente teme uma epidemia de câncer em estágio avançado no Brasil. As chances de cura vão cair e o tratamento será paliativo “A falta de atendimento irá gerar um número de casos em estágios ainda mais avançados depois da pandemia”, concorda a presidente da Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama), que em uma pesquisa própria registrou cancelamento de 32% das consultas, 23% de cirurgias e 16% de exames de diagnóstico. “Pacientes que não podem recorrer a serviços particulares não têm outra opção a não ser esperar.”

Por que exames e cirurgias diminuíram?

As cirurgias e exames oncológicos caíram durante a pandemia por diversas razões. Há médicos e enfermeiros em quarentena, serviços de diagnóstico fecharam as portas para isolamento, enquanto muitos hospitais reservaram seus leitos para atender casos de covid-19.

Além disso, muita gente não procura ajuda por medo de entrar em hospitais durante a pandemia. “Isso lá na frente será catastrófico. Perderemos muitas pessoas”, acredita Oliveira.

Klock conta o caso de uma paciente que demorou demais para procurar um médico. “Ela deveria ter sido operada há seis semanas, mas chegou agora com o colo do útero em necrose.”

O presidente da SBCO acredita que será preciso aumentar os turnos de trabalho para dar conta da demanda após a pandemia. “Além de acumular os casos que a gente pegou inicialmente, vamos tratar os avançados. Precisaremos trabalhar à noite e nos finais de semana”, diz.

UOL

(mais…)

Foto: reprodução

Se as eleições forem em dois dias — e esta é uma das possibilidades na mesa— o TSE estima um gasto entre R$ 150 e R$ 200 milhões a mais para realizá-las.

Lauro Jardim – O Globo


Foto: Edu Andrade/FatoPress/Estadão Conteúdo

O secretário Nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, deixará o cargo nesta segunda-feira (25). Ele chegou a pedir demissão no dia 15 de abril, mas o então ministro da Saúde Henrique Mandetta não permitiu sua saída.

Em mensagem enviada à equipe, Wanderson disse que a saída foi definida no dia 15 de abril, mas que permaneceu mais algumas semanas a pedido de Mandetta e de seu sucessor, Nelson Teich.

Após a saída de Teich, o secretário de Vigilância disse que acordou sua saída com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, na última quarta-feira (20). Oliveira é servidor do Hospital das Forças Armadas em Brasília e se reapresentará à instituição.

“Apesar de sair da função de Secretário de Vigilância em Saúde, continuarei ajudando ao Ministro Pazuello nas ações de resposta à pandemia. Somos da mesma instituição, Ministério da Defesa e conosco é missão dada, missão cumprida”, disse Wanderson.

Oliveira é enfermeiro epidemiologista, doutor em epidemiologia, tem mais de 20 anos de experiência, sendo 15 deles no Ministério da Saúde, segundo a própria pasta. Ele é servidor público federal e tem passagens pelo Ministério da Defesa e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

G1

lula

“Ferve” nos bastidores politicos sobre pré-candidato a vereador evangélico pode perder legenda por “pisar na bola”, segundo informações, os integrantes do Partido não suportam mais os ” Vexames” do fulano. Segundo consta, até áudios que comprovam as bobagens praticadas pelo pré-candidato a vereador circulam nos “whatsapps” da vida. O camarada já começou mal, nessa vida temos que ter responsabilidade e agir com sensatez. É preciso estar preparado ao tomar a decisão de iniciar uma vida pública, o cara pretende ser representante do povo, então dá uma desacelerada nas “criancices” e encara sua postura com mais dignidade ante a vida, cada uma! Coisas que só acontecem nos bastidores políticos.

Blog de olho no Assu

lula

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu decisão favorável em ação civil pública (ACP) movida contra o Rebouças Supermercado, localizado em Mossoró. O empreendimento agora terá que cumprir, em todas as suas unidades na cidade, as prescrições de enfrentamento a pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), contidas em decretos estaduais e municipal.
Na ACP, a 2ª Promotoria de Justiça de Mossoró relata que instaurou um procedimento administrativo para fiscalizar se supermercados, farmácias e agências bancárias na localidade estavam obedecendo as normas, que também estão estabelecidas no plano de contingência do Estado do Rio Grande do Norte, para combater a pandemia.
Agora, por força da decisão judicial, o Rebouças Supermercado terá que seguir a legislação, abstendo-se de colocar em risco a saúde de clientes e funcionários. Isso significa que o empreendimento deverá implementar providências que assegurem: a restrição de acesso de pessoas ao interior da loja (limitando número de clientes e exigindo uso de máscara,, além de informar qual a quantidade máxima de consumidores permitidos na loja ao mesmo tempo); a higienização de carrinhos de compras; e a disponibilização de álcool em gel nos setores internos do supermercado para acesso dos consumidores e dos funcionários.
A iniciativa ministerial, de verificar o funcionamento desse tipo de empreendimento, resultou na celebração de um termo de ajustamento de conduta (TAC) e de recomendações para outros três supermercados.
O MPRN contou com o auxílio do Procon Mossoró, para quem requisitou uma  fiscalização nesses mercados quanto ao cumprimento das normas de combate e enfrentamento da Covid-19.
 MPRN

Emporio

Facebook